Resultados do Panamericano 2016 de Mountain Bike em Catamarca, Argentina

db806b9z6x

Henrique Avancini e Raiza Goulão, esperanças Brasileiras no CrossCountry Olímpico fecham o Panamericado com a medalha de prata nas elites masculina e feminina.

O Brasil ainda teve outras medalhas e fechou a competição por equipes na terceira posição. Resultado pode ajudar à trazer mais vagas para o País nos Jogos Olímpicos do Rio/2016

O mountain bike brasileiro pode comemorar. O país fechou o Campeonato Pan-Americano da modalidade neste domingo (3) na terceira colocação geral entre as nações. Isso foi possível principalmente pela excelente apresentação dos ciclistas da seleção brasileira de MTB no circuito de terra seca e cascalho da província de Catamar, na Argentina, encerrando a principal competição continental com duas medalhas de prata na prova XCO elite. O Brasil também já havia comemorado outras cinco medalhas, sendo uma de ouro, três de prata e um bronze, nas categorias juvenil, master e no team relay, conquistadas nos dias anteriores.

6130001f

Raiza Goulão, 2ª Colocada na Elite Feminina

Raiza Goulão, que chegou motivada pelos resultados apresentados na atual temporada, teve mais um bom desempenho na elite feminina. A brasileira tentou o máximo possível brigar pelo ouro, mas a mexicana Daniela Campuzano usou muito sua experiência, atacou forte ainda na terceira volta e seguiu isolada para cruzar a linha de chegada em primeiro lugar, com o tempo de 1h31min08. Raiza manteve o bom ritmo e ficou em segundo (1h33s01) garantindo a medalha de prata. A norte-americana Chloe Woodruft completou o pódio, em terceiro lugar (1h33s27). O Brasil ainda teve na prova a presença de Sofia Subtil, que ficou com a 11ª posição, Viviane Favery e Luana Machado não completaram a prova.

“Fiquei muito feliz. Estou bem cansada, a prova foi no limite, mas foi bem legal. Eu e meu treinador optamos por mudar a estratégia nesse fim de semana, aquecimento, hidratação, etc. Consegui fazer algo que ainda não tinha feito até o momento, que é fazer a diferença na subida. Consegui abrir uma distância junto com a Chloe, mas na quarta volta eu cansei muito, fiquei sem força, também cometi alguns erros bobos. Mas ficamos muito felizes porque estamos chegando cada vez mais perto do nível das melhores ciclistas profissionais. É bom ser vista como uma atleta que pode incomodar e atrapalhar um pouco as coisas. Já mostra nossa evolução. Agradeço principalmente a confederação, minha equipe multidisciplinar e patrocinadores, além de todos brasileiros que estavam aqui na Argentina torcendo e ajudando, pois sem o apoio de todos também não seria possível chegar tão longe”, comemorou Raiza, que figura na 17ª colocação do ranking mundial.

6130002f

Henrique Avancini, 2º Colocado na Elite Masculina

Na elite masculina, o brasileiro Henrique Avancini foi o principal destaque do país. O argentino Catriel Soto atacou logo na primeira volta, abrindo vantagem e já na segunda volta ficou aproximadamente um minuto a frente do primeiro pelotão, conquistando com muita categoria a medalha de ouro para os donos da casa (1h30s06). A disputa pela prata ficou entre o brasileiro e o norte-americano Stephen Ettiger. Nas duas voltas finais, Henrique, com muita garra e competência abriu vantagem para Ettiger e conquistou o vice-campeonato (1h31s10) ficando a pouco menos de um minuto do norte-americano (1h31s57).

“Foi uma corrida boa. Sai de uma prova longa há duas semanas e cheguei bem agressivo para uma prova de cross country, ou seja, um trabalho muito difícil, mas muito bem realizado. Claro que perder o título não é uma sensação bacana, mas eu fiz uma corrida constante. O Catriel fez uma preparação muito boa para essa prova, era a meta dele para esse ano e ele é um ótimo ciclista. Fiquei muito satisfeito com o nível que cheguei nessa prova. Conquistamos pontos muito expressivos, não só individualmente, mas para a nação, que tem boas chances de conquistar uma segunda vaga olímpica. Então fico feliz por ter dado uma contribuição generosa para o meu país”, relatou Henrique Avancini que é o melhor brasileiro no ranking mundial.

Também integrantes da seleção brasileira, Ricardo Pscheidt finalizou em 20º lugar enquanto Rubens Donizete teve problemas com o pneu e acabou não completando a prova. Também defenderam as cores do Brasil na prova Frederico Mariano, 10º colocado, seguido por Sherman Treza, em 12º lugar, e Guilherme Gotardelo fechando na 16ª posição.

Jovens do Brasil também fazem bonito

Ainda representaram o Brasil na competição deste domingo alguns jovens talentos da modalidade, que surpreenderam e voltaram para casa orgulhosos pelo desempenho apresentado.

Na Sub23, Karen Fernandes alcançou a sétima colocação na prova vencida pela colombiana Yosiana Quintero, enquanto Erick Brusque foi o 15º colocado e José Gabriel o 23º. Na categoria junior masculina, o Brasil teve Lucas Sirio na oitava posição e Mario Couto em 15º lugar.

fichas-carlos-eduardo-polazzo_Alvaro-Perazzoli_Seppia

“Foi um Pan-Americano muito duro, com calor intenso, ar seco e um circuito com muitas subidas. Mas os brasileiros pedalaram forte e terminamos como a terceira melhor nação no quadro de medalhas. Os resultados mostram quem o mountain bike brasileiro está crescendo muito e com muita qualidade, ou seja o trabalho da CBC de desenvolvendo para a modalidade está surtindo efeito. O planejamento está bem encaminhado e vamos continuar trabalhando forte para ajudar o Brasil no ranking mundial e assim conquistarmos mais vagas para o país na Rio2016”, avaliou Carlos Polazzo, técnico da seleção brasileira.

 

 

Colocação Geral dos Brazucas:

  • OURO: Silvinho Amorin | Categoria Master B1
  • PRATA: Henrique Avancini | Elite Masculina
  • PRATA: Raiza Goulão | Elite Feminina
  • PRATA: Fernanda Borella | MAster Feminina
  • PRATA: Brasil | Team Relay
  • BRONZE: Bruna Sallfeld | Juvenil Feminina
  • BRONZE: Hermes Santana | Master D
  • 3ª POSIÇÃO GERAL: Seleção Brasileira

Related Posts

Expo Fitness Contagem 2017
Copa Brasil de Street Workout
WLC – Wod Ladies Challenge (CrossFit Feminino)